A História da Vela no Brasil

No fim do século XIX, a vela desembarcava no Brasil por iniciativa de descendentes europeus. Ainda que as embarcações já fossem usadas com fins esportivos no século XVII, principalmente na Inglaterra e Holanda, foi apenas cerca de 200 anos depois que a modalidade chegou ao país.

O primeiro clube dedicado ao esporte no Brasil, o Iate Clube Brasileiro, foi fundado em 1906, na cidade de Niterói, no Rio de Janeiro. Já a primeira disputa nacional foi realizada no ano de 1935 e recebeu o nome de Troféu Marcílio Dias, homenageando o ilustre marinheiro da Armada Imperial Brasileira.

Seis anos depois desse primeiro incentivo, foi fundada a Federação Brasileira de Vela e Motor. Entretanto, a partir de 2013, a principal entidade responsável pelo esporte é a Confederação Brasileira de Vela. Filiada ao COB (Comitê Olímpico Brasileiro), essa confederação busca liderar o desenvolvimento de programas e serviços para a comunidade da vela, e proporcionar mais oportunidades aos atletas brasileiros.

Nesse contexto, o Brasil vem conquistando muitas medalhas desde que a modalidade entrou para a programação dos Jogos Olímpicos na segunda edição em 1900. Parte desse sucesso se deve à participação dos atletas militares que contribuem para o expressivo resultado em competições de alto rendimento. Com isso, a Marinha criou o PROLIM (Programa Olímpico da Marinha), que tem por objetivo fomentar o desenvolvimento do Esporte Olímpico no país e, consequentemente, a mentalidade marítima na sociedade brasileira.

Veleiro Oceânico Cherne

Esse programa, que busca oferecer aos membros das equipes a estrutura e o suporte necessários para que logrem o êxito em competições, confirma-se com o profissionalismo e protagonismo da Vela da Marinha no cenário dos desportos náuticos no Brasil e no exterior. Nos jogos Olímpicos Rio 2016, as Sargentos Martine Grael e Kahena Kunze conquistaram o ouro na regata da classe 49er Fx. Em 2019, as atletas também alcançaram o lugar mais alto do pódio do World Sailing Cup em Miami, nos Estados Unidos. Nessa mesma disputa, os Terceiro-Sargentos Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino ganharam a prata na Nacra 17, feito inédito para o Brasil na categoria, até então.

Além disso, alguns dos nomes brasileiros também se destacam entre os melhores velejadores do mundo, como Torben Grael e Robert Scheidt, detentores de cinco medalhas cada. Atualmente, o Brasil possui dezoito medalhas olímpicas, sendo sete destas de ouro. Esses e outros resultados impressionantes tornaram o Brasil referência e tradição incontestável no esporte.

Link permanente para este artigo: http://www.gven.org.br/a-historia-da-vela-no-brasil/

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.